18 e 19 de fevereiro | Curso PPRA - Reconhecimento de Riscos Ocupacionais para Alimentação do eSocial - 16h

Mais informações

Por: R$ 1.175,00 Em 12x de: R$ 127,29 No boleto: R$ 1.116,25

Comprar
Opção de parcelamento via cartão de crédito
  • 1x de R$ 1.175,00 sem juros
  • 2x de R$ 587,50 sem juros
  • 3x de R$ 391,67 sem juros
  • 4x de R$ 293,75 sem juros
  • 5x de R$ 235,00 sem juros
  • 6x de R$ 195,83 sem juros
  • 7x de R$ 176,25 com juros
  • 8x de R$ 161,56 com juros
  • 9x de R$ 150,14 com juros
  • 10x de R$ 141,00 com juros
  • 11x de R$ 133,52 com juros
  • 12x de R$ 127,29 com juros
Avalie:

PPRA - Reconhecimento de riscos ocupacionais para alimentação do e-social

 

Palestrante: Osny Camargo
Data: 18 e 19 de fevereiro
Horário: 08h30 às 12h30 – 13h30 às 17h30.
Local: Centro De Capacitação Proteção SP - Avenida São Luis, 86, 4º Andar – Centro - São Paulo/SP
Carga Horária: 16 horas.


PÚBLICO ALVO
Profissionais atuantes nas áreas de Saúde e Segurança do Trabalho: Médicos do Trabalho - Engenheiros de Segurança no Trabalho – Técnicos em Segurança do Trabalho – Fisioterapeutas – Fonoaudiólogos – Advogados – Tecnólogos e outros profissionais de segurança e saúde do trabalho.


OBJETIVO
Ensinar e exemplificar técnicas utilizadas para reconhecimento de riscos potenciais; quantificar os riscos de acordo com a percepção de quantidades, proteções existentes e gravidade, sob o ponto de vista de modos de falha. Criar plano de ação para avaliação e controle de riscos.
Mostrar como é possível diminuir a variabilidade nos resultados de avaliação e ser mais preciso na informação individualizada, de modo a garantir benefícios devidos e não expor a empresa com informações imprecisas. Isto é fundamental no preenchimento dos campos do e-social.
Utilizar casos reais e elaborar um procedimento para o reconhecimento de riscos, incluindo a construção de uma planilha para quantificação dos riscos e critérios para definir ações (plano de ação).


EMENTA
O reconhecimento de riscos é um processo fundamental no trabalho de higiene ocupacional. É muito comum vermos programas, como o PPRA, cuja finalidade é gerenciamento dos riscos ambientais apresentando grandes falhas na parte de reconhecimento de riscos.
O reconhecimento de riscos, também tratado por caracterização básica é a parte inicial do processo de avaliação da exposição. Durante a caracterização básica identificamos os agentes ambientais presentes, sua propagação e seu impacto na saúde do trabalhador. A principal saída do processo de caracterização básica é um plano de ações com definições sobre as atividades que necessitam a realização da avaliação da exposição, ações de controle e gestão do risco. A NR-09, item 9.1.2.1 define que “Quando não forem identificados riscos ambientais nas fases de antecipação ou reconhecimento, descritas nos itens 9.3.2 e 9.3.3, o PPRA poderá resumir-se às etapas previstas nas alíneas "a" e "f" do subitem 9.3.1.” Portanto, os resultados da fase de antecipação e reconhecimento podem ser diretamente comunicados e registrados, sem a necessidade de avaliação.
Assim sendo, um bom processo de reconhecimento de riscos, ou caracterização básica, pode ajudar o profissional de segurança e higiene do trabalho poupar tempo e esforços. E o empresário pode evitar custos desnecessários com avaliações ambientais.
Outro beneficio de um bom processo de caracterização básica é na definição de Grupos Homogêneos de Exposição (GHE), também definidos como Grupos de Exposições Similares (GES). Muitas vezes deparamos com alta dispersão de resultados na avaliação ambiental, o motivo pode estar na falta de critérios para realização do reconhecimento de riscos. Por exemplo, considerar cargos ou funções como único parâmetro para elaboração dos GHEs pode ser a razão da grande dispersão de resultados.
O e-social requer que as informações sobre a exposição do trabalhador estejam disponíveis para caracterização de benefícios como aposentadoria especial e adicional de insalubridade. As informações devem ser individualizadas. Se temos uma grande dispersão de resultados, que valor deve ser considerado como representativo da exposição de um trabalhador, em particular.


OBSERVAÇÕES
– No valor da inscrição está incluso: Pasta, certificado de conclusão, coffee breaks, cópias dos slides serão disponibilizadas aos alunos, além disso serão também entregues material impresso para realização de exercícios em sala de aula.
– Os certificados serão emitidos após a confirmação de pagamento das inscrições e entregues no local. Caso o pagamento seja efetuado com menos de 10 (dez) dias de antecedência do início do evento, o certificado será enviado para o endereço informado na ficha de inscrição.
– Caso seja necessário cancelar o curso/evento, consulte a
política de cancelamento

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Parte I - Introdução - Diferentes visões sobre reconhecimento de Riscos Ambientais

PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e o Reconhecimento dos Riscos ambientais de acordo com a NR-09
NR-15 e o Laudo de insalubridade
Aposentadoria Especial e o Reconhecimento de riscos químicos de acordo com o manual do INS.
Sistemas de Gestão


Parte II - Processos industriais
Características de um processo industrial
Fontes de emissão.
Trajetórias e meios de propagação.
Conceitos de cargo, função, atividades e tarefas.


Parte III - Caracterização de riscos
Fatores de risco
Ruído, vibrações, calor, agentes químicos, etc...
Exposição ocupacional
Efeitos dos agentes ambientais no organismo
Limites de Exposição
TLV-TWA; STEL e valor teto


Parte IV - Quantificação dos riscos baseado em parâmetros qualitativos
Probabilidade de emissão/dispersão no ambiente de trabalho
Quantidades de materiais envolvidos e intensidades de agentes físicos;
Volatilidade e empoeiramento; dispersão de agentes físicos
Características da edificação
Definição de controles existentes e probabilidade de falha
Sistemas de ventilação local ou geral
Barreiras de ruído e materiais para controle de ventilação
Ventilação e sistema de refrigeração
Gestão do uso de EPIs
Potencial em causar danos à saúde, controles médicos e gravidade
Características toxicológicas dos contaminantes atmosféricos
Controles biológicos e audiometria

 

Grupos de Exposições Similares
Parte V - Estudo de caso
Será apresentado um caso e realizada a análise de 3 processos dessa indústria. Ao final da aula, teremos tempo para discussões sobre o caso apresentado e os alunos poderão ainda trazer outros casos reais, para aplicação da metodologia.

 

PALESTRANTE
Osny Ferreira de Camargo - Higienista Ocupacional, Engenheiro químico UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro; Especialização: Engenheiro de Segurança do Trabalho – UNICAMP; Pós-Graduação: Mestre em Engenharia no Programa de Engenharia Mineral da USP - Universidade de São Paulo; Certificação Profissional: Higienista Ocupacional Certificado - HOC pela ABHO; Membro fundador e atual Presidente da Associação da ABHO; AIHA - American Industrial Hygiene Association - Membro Internacional e Embaixador para o Brasil; ISRP - International Society for Respiratory Protection - Full member; Trabalho na CETESB, Fiscalização na área de controle de poluição preventivo e corretivo; Na 3M do Brasil Ltda, durante 20 anos como Especialista em Serviços Técnicos para a divisão de Produtos para Saúde Ocupacional e Segurança Ambiental e 8 anos como Gerente de Segurança, Saúde e Meio Ambiente; Gerente de Higiene Industrial e Ergonomia - São Paulo/SP.

Dimensões:
0.00cm x 0.00cm x 0.00cm
Marca:
AB
Tags:
PPRA; Riscos Ocupacionais; eSocial; Higiene Ocupacional; NR09; Aposentadoria Especial; Saúde do Trabalhador