Formas de Pagamento:

Parcelamos sem juros nos cartões de crédito.

Boleto bancário

 

 

Periodicidade: Mensal

A Revista Proteção surgiu em dezembro de 1987 com o objetivo de propagar as informações em Saúde e Segurança do Trabalho. Editada mensalmente pela Proteção Publicações Ltda, e com abrangência nacional, é escrita para todos aqueles profissionais e empresas preocupados com a qualidade de vida no trabalho.

Seu conteúdo editorial é composto por artigos técnicos, reportagens, entrevistas e colunas que atendem aos interesses dos profissionais da área de SST.

 

Confira os Planos de Assinatura da Revista Proteção

https://www.lojavirtualprotecao.com.br

R$ 15,50

Detalhes do Material

Revisão sem prejuízos

Enquanto as empresas e os profissionais mais conscientes de suas responsabilidades com a saúde e segurança dos trabalhadores correm para se ajustarem às novas exigências trazidas pelas NRs e anexos vigentes desde janeiro, saiu no final do mesmo mês, liminar da justiça suspendendo os procedimentos de revisão da NR 36 (SST em Frigoríficos).
O argumento do Ministério Público do Trabalho, autor do pedido de suspensão, é de que o processo de revisão da referida norma é inadequado e que, não teria consultado parcela minoritária da sociedade, como a população indígena que, de acordo com o MPT, trabalha em empresas de abate e processamento de carnes.
A NR 36 já vinha sendo foco de audiências públicas no fim do ano passado, organizadas por representações de trabalhadores e MPT que questionavam o futuro texto. O fato é que até decisão contrária – o Governo deve entrar com pedido para suspensão da liminar – as reuniões do Grupo de Trabalho Tripartite da NR 36 estão suspensas.
Que o processo de revisão das NRs, que segue acelerado já neste início de ano, tão importante para adequação e atualização dos procedimentos em SST nas empresas, possa continuar, mas sempre de modo criterioso, democrático e sem prejuízos aos trabalhadores brasileiros.
Acompanhe nosso site e mantenha-se sempre atualizado.


REPORTAGEM DE CAPA / ERGONOMIA


Nova NR 17 traz propostas diferenciadas para identificação
de soluções de problemas nos ambientes de trabalho

A nova NR 17 (Ergonomia) está em vigor desde janeiro propondo um olhar diferenciado e abrangente sobre o tema.  Agora integrada ao PGR da NR 1, ela traz diferenças claras entre a AEP (Avaliação Ergonômica Preliminar) que deverá ser utilizada como instrumento básico de avaliação dos riscos ergonômicos, e mantém a AET (Análise Ergonômica do Trabalho), como instrumento de avaliação aprofundada.
Uma questão que preocupa é poder contar com profissionais capacitados e experientes em número suficiente para atender o universo de trabalho das empresas.

 

ENTREVISTA
TITULAR DA ANEST EXPÕE OBJETIVOS
O presidente da Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho, Benvenuto Gonçalves Júnior, cumpre seu segundo mandato à frente da entidade. Levar a informação técnica para profissionais de grandes, médias e pequenas empresas, sejam eles das capitais ou do interior, é meta que ele se esforça para cumprir. Também é engenheiro agrícola, especialista em Economia e Gestão de Empresas, conselheiro do CREA/RN e perito judicial do TRT da 21ª Região.

ARTIGOS
GESTÃO DE RISCOS
Requisitos de segurança em ciclo de vida de projetos de satélites.

HIGIENE OCUPACIONAL
Mesmo oferecendo riscos não há controle sobre o trabalho com o percloroetileno.

SAÚDE NO TRABALHO
Estudo revela perfil ocupacional de cirurgiões-dentistas em município mineiro.