Formas de pagamento:

 

12x nos cartões de crédito

Boleto á vista

Pix | Transferência | Depósito

 

Periodicidade: Trimestral

Planos

24 edições
R$ 162,00
12 edições
R$ 101,00
Detalhes do Produto

Problemas que persistem

Ferramentas extremamente importantes na pandemia da COVID-19, as Centrais de Regulação de Urgências tiveram uma participação ativa desde os primeiros casos da doença. Segundo especialistas ouvidos na reportagem, elas foram de vital importância na decisão de envio de recursos do SAMU ao primeiro atendimento do paciente em casa e na rua, nas regulações das remoções de pacientes às unidades de saúde, nas remoções interunidades de pacientes graves das de menor complexidade às de maior complexidade, assim como nos apoios às unidades de saúde.
Apesar de toda esta importância ilustrada com a pandemia, as centrais enfrentam alguns desafios. E faz tempo. Desde a última reportagem feita por Emergência sobre o assunto, em 2009, percebe-se que pouca coisa mudou. Profissionais ouvidos na reportagem desta edição alertam que um dos grandes problemas enfrentados pelos médicos reguladores é o exercício de sua autoridade sanitária, questão que já figurava na matéria feita por esta publicação há mais de dez anos. E o pior é que esta dificuldade, muitas vezes, é causada por quem mais deveria prezar pelo bom andamento do serviço: os gestores. Já era hora de problemas como este serem passado para as centrais. Tomara que a pandemia tenha mostrado que algumas coisas não podem ficar como estão.


ESPECIAL
As CRU (Centrais de Regulação de Urgências) são ferramentas importantes para o acesso dos usuários do SUS ao atendimento das urgências. São elas que disponibilizam os atendimentos de saúde e as ambulâncias no local das ocorrências, encaminhando a vítima para o hospital de referência. Apesar da grande importância e responsabilidade, estas centrais enfrentam diversos problemas como o exercício da Autoridade Sanitária dos médicos reguladores, a capacitação adequada, a adoção de protocolos, a triagem e a integração com centrais como a de leitos. Ao mesmo tempo, os serviços contam com evoluções como a participação de outros profissionais nas centrais, além dos médicos, as centrais integradas com forças de segurança pública e as novas tecnologias para facilitar e agilizar os trabalhos.

 

ENTREVISTA
Pernambuco enfrenta enchentes e deslizamentos, no segundo maior desastre da história do Estado.

 

INCÊNDIO
Debate sobre a tragédia da 25 de Março aponta problemas da falta de cultura em Segurança Contra Incêndio no país.

 

BOMBEIROS
Após dois anos do início da pandemia de COVID-19, corporações voltaram a comemorar o Dia Nacional dos Bombeiros em formato presencial.

 

HISTÓRIA
A criação do serviço pioneiro de Salvamento Marítimo no Estado de São Paulo é relatada em artigo.

 

APH
Artigo aborda a importância da aplicação do torniquete tático no país.  

 

PROTEÇÃO PASSIVA
Artigo lista as mudanças importantes que a norma brasileira sobre selagens resistentes ao fogo em elementos de compartimentação traz.

 

SAMU
Os prejuízos do absenteísmo no atendimento pré-hospitalar são mostrados em artigo.

 

ROUPAS
Artigo traz pesquisa sobre a possibilidade de a farda do bombeiro militar ser confeccionada em tecido antichamas.